Notícias em destaque

Dirigentes do SINTRASE se reúnem com prefeito de Dores para cobrar PMCCV

0

O SINTRASE voltou a questionar a prefeitura de Nossa Senhora das Dores nesta quinta, 5, sobre o andamento da construção do Plano Municipal de Cargos, Carreiras e Vencimentos (PMCCV). Ao prefeito, Dr. Thiago, os diretores do sindicato exigiram celeridade nas atividades da comissão que vai instituir o novo Plano para os servidores municipais.

De acordo com o presidente, Diego Araujo, a situação é preocupante porque no prazo de 90 dias após a publicação da portaria 594/2017, que prevê a criação da comissão do Plano, nada de concreto foi realizado. “Estamos em outubro e a equipe ainda não se reuniu para debater o novo PMCCV. Ficamos apreensivos porque a previsão é institui-lo em 2018 e o prazo está bastante apertado”, reclamou.

A dirigente da subsede do SINTRASE em Dores, Marleide Vieira, que também faz parte da comissão do Plano, relembrou que, através de ofício enviado no final de agosto, solicitou à empresa que presta assessoria técnica à prefeitura, a CAT, o impacto e a viabilidade financeira do PMCCV, além de projeções até 2020 e o histórico de gasto com pessoal dos últimos três anos. “O ofício foi entregue há quase dois meses e não obtivemos resposta até agora”, se queixou. “E nenhum encontro presencial foi marcado pela presidência da comissão, o que atrasa ainda mais a negociação do Plano”, declarou a dirigente, afirmando estar sempre na sede cobrando um posicionamento da prefeitura.

Após o debate com o prefeito sobre os atrasos na discussão do Plano, o encontro dos membros da comissão foi agendado para a próxima terça, 10. Participou também da reunião desta quinta a dirigente, Leina Pina, outra representante do SINTRASE que compõe a comissão do PMCCV; a diretora administrativa, Elma Andrade; e o vereador, Professor Vado.

EPI´s – O sindicato aproveitou a presença do prefeito para relembrar a solicitação dos equipamentos de proteção individual, os EPI´s. Marleide destacou que o SINTRASE entregou um relatório com os tipos de equipamentos e o seu quantitativo para a prefeitura. Ao sindicato, Dr. Thiago afirmou que já fez o pedido de alguns materiais e que irá licitar o que falta, tendo em mãos os equipamentos exigidos pelo sindicato num prazo estimado de 30 dias.

Leis dos condutores de ambulância – Uma pauta bastante discutida pelo sindicato e levada também à reunião desta quinta foi a cobrança da Lei dos Condutores de ambulância do município. A minuta da lei  foi entregue à prefeitura, mas também não houve resposta ao sindicato até o presente momento.

 

TCE define criação de grupo de trabalho para solucionar déficit da Previdência

Previous article

Presidente do SINTRASE participa de audiência sobre bancos públicos

Next article

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.