Empregados da Codise celebram acordo coletivo 2018

A reunião que discute o acordo coletivo dos empregados da Companhia de Desenvolvimento Industrial e de Recursos Minerais de Sergipe (Codise) foi realizada na manhã desta quinta, 9. SINTRASE e empregados, com a participação da Associação da categoria (Assedise), debateram os pontos do documento relativo a 2018.

Equiparando-se a outras empresas públicas representadas pela entidade, a cláusula que dita a reposição salarial escalonada foi aprovada pela categoria. Os índices apresentados foram: taxa de 5,91% referente a 2013; cujo valor total e atualizado receberia ainda o acréscimo de 10,67% (2015) e por fim, a soma de mais 6,29% (2016). Em 2017, todos estes valores seriam somados à taxa de inflação daquele ano (2,95%) e, ao final deste cálculo, o montante receberia mais 14,07%, que se refere à recuperação de todo este tempo sem reposição.

O acordo aprovado prevê também a manutenção do plano de saúde, através do repasse mensal da cota parte (com o acréscimo do percentual anual), e a concessão do auxilio alimentação, que terá reajuste anual pelo índice do salário mínimo.

Preocupações com direito adquirido

No documento, algumas cláusulas tentam assegurar direitos e vantagens já adquiridos e dispostos em normas internas da entidade, como resoluções, regulamentos e acordos coletivos dos anos anteriores. Este reforço, segundo o presidente, Diego Araujo, se dá pela atenção do sindicato desde dezembro do ano passado, quando se reuniu com os empregados da Companhia, às mudanças na nova legislação trabalhista. “Há um risco concreto de que as solicitações nos acordos coletivos não sejam atendidas ou pior: benefícios conquistados anteriormente sejam revogados”, explicou. O dirigente declarou que o sindicato tomou a decisão de apresentar somente agora as propostas à categoria por causa dos julgamentos das ações diretas de inconstitucionalidade (Adin), que questionavam a legislação sobre acordos coletivos perante o STF. “Poderia ser uma esperança para garantir os avanços dos servidores durante os anos anteriores”, avaliou. As ações foram julgadas improcedentes pelo Tribunal no final de junho.

O acordo da Codise deve ser judicializado nos próximos dias.

 

Deixe uma resposta

Nome *
Email *
Site