Sintrase e prefeitura de Dores discutem últimos pontos do PCCV do município

O SINTRASE voltou a cobrar, no início da noite desta terça, 5, a implantação do Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos (PCCV) à prefeitura de Nossa Senhora das Dores. Passado um ano e meio da revogação da lei, a categoria aguarda a sensibilidade do prefeito, Thiago Santos, para colocar as atribuições do Plano em prática. “Desde 2016 as negociações pouco avançaram, mesmo com a criação da comissão do Plano no ano passado. Esse é um ponto que tem nos preocupado bastante, já que o prefeito está quase na metade da sua gestão”, declarou o presidente, Diego Araujo.

Na reunião, Thiago reconheceu que deve o PCCV à categoria, mas afirmou que precisa ter cautela com as contas do município. À direção do sindicato, o prefeito falou sobre o interesse em reajustar os salários ainda neste segundo semestre, mas, para Diego, somente conceder reajuste em índices irrisórios (de 2 a 5% no máximo, de acordo com a prefeitura) ao trabalhador do município que ganha um salário mínimo é insuficiente. “A grande expectativa dos servidores municipais está voltada para o Plano até porque, assim que Thiago assumiu a prefeitura, uma das primeiras ações enquanto prefeito foi revogar a lei do PCCV. Um reajuste salarial seria um leve alento, mas não é o necessário para que os servidores vivam com dignidade”, disse o presidente. “No próprio PCCV há a previsão deste reajuste, além de ele ser previsto na Constituição, então, não há porque aceitar somente esta cláusula isolada quando há outras garantias que trazem segurança para o servidor”, explicou o dirigente. A reunião contou com a presença também do assessor jurídico, Denis Arciere.

O SINTRASE apresentou no ano passado um estudo de impacto financeiro para implantar o PCCV, que girou em torno de 50 mil aos cofres do município. “O impacto com o Plano não seria tão grande e tão diferente do que a prefeitura poderia gastar com o reajuste, por isso, insistimos que o Plano seja a primeira opção para a prefeitura avaliar”, defendeu a diretora, Elma Andrade.

Os assessores da prefeitura devem apresentar ao prefeito a proposta final, com as sugestões dos reajustes e dos custos para implantar o Plano, até a próxima sexta, 15. O veredito será apresentado ao SINTRASE em reunião já agendada para a segunda, dia 18. “Se possível, na terça (19) mesmo apresentaremos a proposta detalhada para a categoria discuti-la em assembleia”, finalizou o presidente. A data será confirmada em breve.

Sobre os EPI´S

A representante da subsede, Marleide Vieira, aproveitou a reunião com o prefeito, para falar sobre o fornecimento dos equipamentos de proteção individual (EPI´s), cobrança rotineira durante suas visitas aos servidores. Segundo a prefeitura, parte das fardas (camisas) dos agentes de saúde já está pronta na secretaria. A outra parte do fardamento está sendo confeccionada. O outro item bastante cobrado – protetor solar – , segundo Thiago, já foi comprado pela prefeitura.

 

Deixe uma resposta

Nome *
Email *
Site