Durante solenidade, prefeita de Pinhão é recepcionada com ‘protesto surpresa’ do SINTRASE

“Prefeita, venha aqui na frente conversar com os servidores”. Este foi o apelo encabeçado pela equipe do SINTRASE e servidores na manhã desta segunda, 11, direcionado à prefeita de Pinhão, Ana Rosa (PMDB). Os presentes realizaram um ato de protesto surpresa durante uma inauguração do governo no município, que contou com a presença do governador e também peemedebista, Jackson Barreto, na solenidade.

A ideia do ato, segundo o presidente, Diego Araujo, partiu da recusa da prefeita durante todo o ano em atender o sindicato. “Ana Rosa insiste em não negociar. Desde janeiro enviamos ofícios e, quando se esgotaram as possibilidades, começamos a fazer atos de protesto para chamar atenção da prefeitura e dos populares, para que ficassem cientes do que estava ocorrendo”, explicou.

Os manifestantes utilizaram carro de som que entoava o refrão “Ô, Ana Rosa, cadê você? Eu vim aqui só pra te ver!” e chamaram bastante atenção dos políticos e da comunidade. “Sabíamos que hoje a prefeita iria aparecer, junto com o governador e padrinho político dela (JB), então, viemos protestar e falar publicamente sobre a situação para que ela perceba que os servidores, de fato, existem”, declarou a diretora, Elma Andrade.

No evento, Ana Rosa tentou evitar a todo o momento os servidores, mas durante o descerramento da placa de inauguração, a gestora se mostrou desconfortável com a manifestação e interrompeu seu discurso para dizer que “não deve ao sindicato e que o Sintrase não pertence ao município”. Segundo Diego, o intuito dela é desqualificar o trabalho dos dirigentes sindicais em Pinhão.

“O sindicato é quem representa legalmente a categoria e tem como dever  resguardar os direitos dos servidores”, declarou o dirigente, explicando que a gestão anterior deixou o salário do mês de dezembro em aberto e Ana Rosa chamou os trabalhadores separadamente para negociar, ignorando a presença  do sindicato. “Ela não conseguiu, na ocasião, porque insistimos em participar da reunião. E de lá para cá, desde janeiro, vem fechando as portas da prefeitura para sindicato e trabalhadores”, declarou.

Sobre a declaração da prefeita, Diego afirma que a prefeitura está retendo o desconto dos trabalhadores todos os meses. “Ela não faz o repasse desde junho, o que configura apropriação indébita”, disse. “Ana Rosa vem cometendo diversas condutas não só antissindicais, mas contra todos os trabalhadores, sem pagar os direitos que eles adquiriram ao longo dos anos”, afirmou o dirigente. A categoria pede uma reunião para discutir a regularização do pagamento dos adicionais noturno, de insalubridade e periculosidade, discussão sobre PCCV e sobre o salário base, que ainda é abaixo do mínimo nacional.

“Vamos continuar ‘na cola’ de Ana Rosa, de Jackson Barreto, assim como ficaremos na de todos os políticos deste estado que estiverem descumprindo o direito dos trabalhadores”, finalizou.

Na semana passada, o sindicato havia feito outra ‘surpresa’ ao prefeito de Nossa Senhora das Dores, Dr. Thiago Souza, no aeroporto de Aracaju, quando este desembarcava de um voo.

Deixe uma resposta

Nome *
Email *
Site